Jornal da Praceta

Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

  Anterior

 

Neste espaço encontra a a mais ampla e completa informação sobre as eleições autárquicas de 2021 na Freguesia de Alvalade e por extensão em Lisboa.

Câmara Municipal de Lisboa

As eleições continuam a ser um monopólio dos partidos políticos, a participação nas eleições de cidadãos não enquadrados partidariamente continua a constituir uma excepção.

Candidaturas às eleições autárquicas d 26 de Setembro

Partido Socialista. Fernando Medina volta a candidatar-se. Nas eleições de 2017 obteve 42% (106.0367 votos). Nestes últimos quatro anos a CML prosseguiu a politica de recuperação e limpeza de espaços públicos, em grande parte devido à influencia muito positiva do vereador José Sá Fernandes. Lisboa está hoje uma cidade incomparavelmente melhor para quem nela vive e trabalha. Em muitas áreas, temos que reconhecer que ocorreram mudanças muito positivas. A propaganda do PS, para além dos multiplos apoios contra a pandemia, apresenta uma longa lista de obras realizadas em quatro anos na habitação, transportes, escolas e creches, centros de saúde, espaços verdes, jardins, praças, bibliotecas, teatros, conclusão do Palácio Nacional da Ajuda, etc., etc. A Oposição reduz toda a obra realizada duas coisas: Medina apenas procurou tornar Lisboa mais bonita e enchê-la de ciclovias. O passado se é importante para avaliar a credibilidade do candidato, o que nos interessa  agora são as propostas para o futuro de Lisboa. Programa Eleitoral

PSD/CDS. Apresentam-se a estas eleições coligados, tendo como cabeça de lista um neoliberal - Carlos Moedas. Nas eleições de 2017 estes partidos obtiveram uma percentagem de 31,81% (80.320 votos). Durante largos meses muito pouco disse sobre o seu programa para Lisboa: Prometeu fazer mais ciclovias e limitar o alojamento local onde ele já é excessivo. Assumiu o compromisso de distribuir dinheiro, muito dinheiro, oferecer seguros de saúde, transportes gratuitos, baixar contribuições, reduzir o preço do estacionamento para os lisboetas, etc. Com menores recursos financeiros a CML terá que cortar em muitas das suas actividades e funções. Quais ? Uma pergunta ainda sem resposta.

Convenhamos que a ideia de distribuir de dinheiro aos municipes é uma ideia muito sedutora, mas veremos o que pensam disto os eleitores, Programa Eleitoral.

Sondagens: A primeira grande sondagem publicada pelo DN, a 30/08/2021 dava a Fernando Medina 51% dos votos, a Moedas 27%, seguido de João Ferreira com 9%. A candidata do Bloco de Esquerda  ficava-se pelos 4%, Chega 2% e IL 2%. Em Alvalade  e Avenidas Novas  a coligação PSD/CDS-PP não ía além dos 28%. A sondagem do ISCTE/ICS-Expresso (23/07/2021) dava a Medina 42%, Moedas 31%, BE 8%, PCP 6% e Chega 4%. A primeira sondagem, a da Intercampus (16/04/2021) dava a Medina 46,6% e a Moedas 25,7.  

Freguesia de Alvalade

Os cidadãos continuam arredados da participação na vida da freguesia, raramente aparece alguém na assembleia da Junta. Nas eleições autárquicas em Alvalade o maior partido é o dos que não votam, ou votam em branco ou simplesmente anulam o voto com frases e desenhos muitas vezes obscenos. Desde 2001, a título de exemplo, o seu número oscilou entre um mínimo de 14.067 cidadãos em 2009 e 17.260 em 2013, para uma média de 32 mil eleitores inscritos. O que levou a tão grande indiferença dos cidadãos perante a vida da freguesia onde vivem ?. Um sistema democrático fechado ou excessivamente partidarizado?. Nenhuma mudança social é possivel com tanta passividade.

É significativo que os votantes sejam em maior número nas eleições para a câmara ou a assembleia municipal do que para a junta. O orgão autárquico que lhes está mais próximo é visto com maior indiferença, ao ponto de muitos cidadãos nem sequer de darem ao trabalho de fazerem uma simples "cruzinha" no respetivo boletim de voto

Análise do mandato do PS em Alvalade (2017/2021)

José Borges nas eleições de 2017 era o número dois da lista do PS. Após a saída de André Moz Caldas assumiu a presidencia da junta. Era um desconhecido dos fregueses e as primeiras impressões não foram positivas. Gerou-se a convicção que não teria capacidade para prosseguir as muitas obras de requalificação estavam em curso na freguesia que tinham sido lançadas no anterior mandato. A pandemia (2020/2021) não facilitou a tarefa da sua afirmação local. Mais

Análise da Oposição durante o mandato do PS (2017/2021)

Quem tenha assistido aos discursos das oposições ao atual executivo da Junta de Freguesia de Alvalade (PS/PCP), após as eleições autárquicas de 1 de Outubo de 2017, só poderia ficar com a ideia que estavamos perante uma oposição musculada na assembleia de freguesia. O lider do CDS - Francisco Camacho - prometeu que a direita faria uma "guerra" à coligação de esquerda. O lider do PSD - João Pessoa e Costa - de forma mais moderada prometeu firmeza no combate. O Bloco de Esquerda, através de Afonso Moreira, prometeu uma vigilância sem concessões. Seis meses depois do ato de tomada de posse (19/10/2017), as oposições eclipsaram-se em Alvalade. Nada que já não tenha acontecido no passado. A Oposição, em geral, só acorda em períodos eleitorais depois de um longo período de hibernação. Mais

Candidaturas às Eleições de 26 de Setembro

Partido Socialista. José Borges, o atual presidente da junta, apresenta-se pela primeira vez como cabeça de lista em Alvalade. Lista - Programa - Campanha

PSD /CDS. José Manuel Amaral Lopes é o candidato escolhido por encabeçar esta coligação de direita na freguesia de Alvalade. Lista - Programa - Campanha.

Bloco de Esquerda. Leonardo Rodrigues, morador na Rua Reinaldo Ferreira, estudante de comunicação social e ativista das redes sociais é o candidato do "bloco" em Alvalade à presidência da Junta de Freguesia. Lista - Programa - Campanha

Partido Comunista Português. João Ferreira é mais uma vez o candidato do PCP à CML. Como aconteceu no passado toda a propaganda eleitoral do PCP nas diferentes freguesias gira à volta da sua candidatura. Não convém ( e pouco interessa) para os eleitores deste partido que haja ruído (distração) em torno de outros candidatos comunistas nas várias freguesias de Lisboa. Neste sentido não se espera ideias especificas para a freguesia de Alvalade. Sérgio Morais de Oliveira, consultor informático é o cabeça de lista por Alvalade. A sua primeira ideia para a freguesia é lutar por retirar o aeroporto da Portela. Lista - Programa - Campanha

Mudar Alvalade. É uma candidatura de um grupo de cidadãos independentes, o que em princípio é de louvar dada a limitadissima participação cívica que se regista na freguesia, na cidade e em todo o país. Este elogio fica-se por aqui. O seu mentor é Nuno Lopes, presidente da associação "Estrelas sjb" que mantém um longo processo judicial com a CML (consultar), marcado por ataques ao atual presidente da CML e à Junta de Freguesia de Alvalade. Esta candidatura foi desde o inicio interpretada como um prolongamento desta batalha judicial.

É de assinalar o facto desta candidatura ter sido a primeira a apresentar um detalhado programa. Recorde-se que a maioria dos partidos que concorrem à assembleia de freguesia nem sequer se dão a esse trabalho. Em breve publicaremos uma entrevista com Nuno Lopes. Lista - Programa - Campanha.

Iniciativa Liberal. O cabeça de lista da IL afirma que quer "libertar Alvalade". A frase é vazia como tantas outras nas eleições, isso pouco importa. Manuel Santos foi dos primeiros a apresentar o seu curriculo e um genérico programa de intenções para a Freguesia. Lista - Programa - Campanha

Pan. Volta de novo a concorrer à assembleia de freguesia de Alvalade. No 16/09/2021 apresentou finalmente um programa aos leitores. Lista - Programa - Campanha

Volt. Uma das tendências evolutivas dos partidos actuais. O programa apareceu a meio da campanha e houve alterações nas listas dos canditados. Um grande número dos quais não moravam na freguesia.    Lista - Programa - Campanha

Chega. A extrema-direita à procura de votantes em Alvalade. Lista - Programa - Campanha

 

Programas Eleitorais  

Na freguesia de Alvalade de acordo com o último censo vivem 33 mil pessoas, um número que supera muitos dos concelhos de Portugal. É reconhecidamente uma freguesia com boas infraestruturas e equipamentos públicos. Não lhe faltam potencialidades a desenvolver e naturalmente problemas a resolver. As  eleições autárquicas por envolverem questões que são muito próximas dos eleitores os programas eleitorais são supostamente mais facilmente avaliados. 

A sua análise permitem-nos avaliar, por exemplo, o conhecimento que os candidatos  tem de todo o território que se propoem gerir, as soluções concretas que apresentam e os interesses públicos ou outros que defendem. Analisando as várias  candidaturas a Alvalade é possivel desde já afirmar que algumas não conhecem a freguesia, limitando-se a apontarem situações particulares em locais muito centrais.  O que andam à procura estas candidaturas partidárias ? A resposta mais imediata é pretendem conquistar ou garantir posições no xadre politico da Lisboa, ou assegurarem o seu eleitorado. Na prática nenhum contributo trazem para mellhorar a vida de quem aqui vive ou/e trabalha.

Os programas que até agora foram apresentados (6/09/2021) podem ser hierquizados de acordo com o grau de conhecimento que revelam da freguesia (território, situações concretas, perspectivas de desenvolvimento, etc). Um factor a ter em conta é a residência dos candidatos. Não faltam listas de "paraquedistas".  

- O PS (Mais Lisboa-Mais Alvalade), Mudar Alvalade e  Bloco de Esquerda foram até agora as únicas candidaturas a apresentarem programas com propostas concretas para a freguesia. O  PAN fez-nos chegar apenas no dia 16/09/2021 o seu programa, com duas ou três propostas concretas na freguesia. 

- O PSD/CDS (Novos Tempos) limita-se a repetir, com algumas pequenas alterações o Programa de Carlos Moedas para Lisboa. O objectivo é centrar as atenções no candidato à Câmara Municipal de Lisboa. Trata-se de uma "economia" de meios progandisticos, mas revelada de um total desprezo pelos problemas especificos de cada freguesia. A Iniciativa Liberal apresenta um programa com propostas igualmente vagas.    

- O PC, segue a mesma estratégia do PSD/CDS de modo a promover a candidatura de João Ferreira à CML.

- O Chega e o Volt não apresentarem nenhum programa eleitoral para a freguesia.   

O conhecimento destes programas não elimina a eleição de candidatos que são uma verdadeira fraude. Ainda no mandato anterior, assistimos as candidatos que uma vez eleitos foram logo substituídos,  outros que nem sequer compareciam nas assembleias de freguesia, outros ainda  que remeteram a um profundo silêncio esquecendo os seus públicos compromissos. O mais grave é todavia quando para uma Junta é eleito um  "bando" de incompetentes, cuja nefasta ação se prolonga ao longo de anos.

Grave atentado contra a Liberdade dos Cidadãos

Em plena pandemia e de forma discreta, a Assembleia da República, em Agosto de 2020, aprovou uma alteração à Lei que regula a eleição dos titulares dos orgãos autárquicos (Lei Orgânica, nº1.- A/2020, de 21 de Agosto). O objectivo, como a Provedoria da Justiça confirmou, é impossibilitar as candidaturas de grupos de cidadãos independentes às Juntas e às Câmaras Municipais. Trata-se de um grave atentado à liberdade dos cidadãos.

47 anos depois do 25 de Abril de 1974, os atuais "democratas" pretendem voltar a repor o monopolio da gestão da "coisa pública" pelos partidos políticos. Os cidadãos independentes entre 1976 e 2001 só podiam candidatar-se às juntas de freguesia, abrindo-se então a possibilidade de o fazerem às câmaras e assembleis municipais, embora com enormes limitações face aos partidos políticos.

Em Portugal, como é sabido, regista-se uma crescente abstenção nos diversos atos eleitorais, fruto da descrença no atual sistema politico (opaco e partidarizado). Os cidadãos foram afastados da politica, mesmo a local. Nas últimas eleições autárquicas, em 2017, a nível nacional a abstenção foi de 45%. Na freguesia de Alvalade foi de 46%, ligeiramente inferior para a Assembleia de Freguesia do que para a Câmara ou a Assembleia Municipal. Se estes números colocam a questão da letimidade dos eleitos, as alterações feitas à Lei denunciam um ataque à minguada Democracia no país.

Que temem os partidos políticos? A resposta está no avanço dos movimentos de cidadãos à margem dos partidos, apesar de todos os constrangimentos legais e manobras que procuram impedir à sua participação. Nas eleições autarquicas de 2017, nos 308 concelhos foram eleitos 17 presidentes de câmara independentes e nas 3.092 freguesias 403 de presidentes. Dir-se-á que é pouco, mas já é o bastante para gerar uma ofensiva contra a cidadania.

Após o protesto por parte de alguns movimentos de cidadãos, na assembleia da Republica foi decidido recuar na mudança da lei eleitoral (em maio de 2021). O PCP foi um dos partidos que se opôs a este recuo.

   
 
 

Entrada

História local
Cultura
Quiosque