Jornal da Praceta

Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

 

Mobilidade Urbana

     Anterior

 

 

Parques de Estacionamente na Freguesia de Alvalade

A freguesia de Alvalade reune todas as condições para ter problemas de estacionamento: É atravessada pelos principais eixos viários de entrada na cidade, não lhe faltam grandes instituições e infraestruturas que empregam milhares de pessoas (aeroporto, universidades, hospitais, complexos desportivos, etc). Em dias de jogo no Estádio do Sporting Clube de Portugal toda a zona era devastada por milhares de automóveis, cujos condutores estacionavam onde lhes apeteciam.

Se a tudo isto somarmos a apropriação privada de logradouros públicos, a inação da CML face aos problemas na freguesia, temos reunidas as condições mais do que suficientes para o caos e foi isto que aconteceu durante decádas.

A situação caótica só começou a ser invertida a partir de finais de 2015 quando a EMEL entrou em força na freguesia procurando disciplinar o estacionamento. Alguns logradouros no Bairro das Caixas começaram também a serem limpos e reaqualificados. Consultar: Limpeza dos Logradouros dos "Bairro das Caixas"

Em várias zonas foram estabelecidos áreas reservadas para residentes e outras para residentes e não-residentes. Fruto desta medida e da ação fiscalizadora da EMEL, na maioria das ruas, durante o dia, desapareceu o estacionamento nos passeios, um autêntico milagre !

Foram criados vários parques de estacionamento, e muitos outros podem ainda serem criados aproveitando locais ocupados por lixeiras nos logradouros públicos. Muitos continuam a defender a situação anterior (estacionamento selvagem), mas a maioria mostra-se agradada com as mudanças.

Nada disto é todavia pacifico, pois como é sabido, os cerca de 380 mil condutores que todos os dias entram em Lisboa gostariam de poder estacionar onde quisessem, mas sem pagar, como continuam fazê-lo por toda a freguesia de Alvalade. Se estas entradas não forem reguladas, como já demonstramos, facilmente voltamos ao caos anterior.

O estacionamento na Cidade Universitária começou também a ser regularizado, com a criação de grandes parques. Alguns problemas que já existiam agravaram-se, nomeadamente os assaltos a estudantes. Num destes assaltos nos dia 28 de Dezembro de 2019 foi esfaqueado até à morte o jovem Pedro Fonseca, junto ao um parque de estacionamento perto do Museu de Lisboa.

 

Parques de Estacionamentos criados depois de 2016

1. Parque do Mercado de Alvalade

O parque já existia, mas servia apenas de apoio ao mercado norte de Alvalade. Era um claro desperdício.  A adaptação a parque público foi por isso consensual. Abriu em 2016.

 

 

2. Parque junto à Igreja do Campo Grande.

A abertura do ginásio nas antigas piscinas no Campo Grande está para breve, assim como o previsível aumento de automóveis na zona. Esta foi a principal razão que levou a CML a criar na zona novos lugares de estacionamento. As obras no entanto só começaram no dia 2 de Janeiro de 2017, e destinam-se a alargar a oferta de lugares de estacionamento junto à Igreja do Campo Grande, tendo sido cortado um metro na largura dos passeios.

Aproveitamento de lixeiras....

As lixeiras abundam pela freguesia de Alvalade e há décadas que muitos moradores defendem a sua limpeza e que se lhes dê uma função mais útil para a comunidade.

 

Numa operação de limpeza de três lixeiras, surgiram três novos parques de estacionamento: um nas Confeiteiras e dois na Rua Afonso Lopes Vieira.

 

3. Parque das Confeiteiras

 

Tem uma capacidade de 248 lugares. O acesso faz-se pela Azinhaga das Murtas e pela Rua José Santa Camarão. O local a até à pouco tempo uma incrível lixeira junto a um bairro social. Mais

.

A imagem do local antes desta intervenção era em tudo idêntica a um cenário de guerra. Casas em completa ruina, restos de carros, animais abandonados, lixo, muito lixo. Este era o panorama das traseiras da avenida do Brasil junto a um bairro social, num descampado onde costumam brincar crianças portuguesas de etnia cigana. 

As obras arrancaram no inicio de Outubro de 2016, e mal começaram as terraplanagem, máquinas e outros equipamentos instalados no local foram alvo de roubos e atos vandalismo (2/10/2016).

Antiga Lixeira das Murtas...

 

Onde hoje está o parque de estacionamento das confeiteiras foi durante décadas uma enorme lixeira, nas traseiras de um bairro social junto à Av. do Brasil, habitado por uma significativa comunidade de portugueses de etnia cigana. O local parecia-se com o ambiente de um campo de batalha.

 

A mudança que aqui ocorreu, em 2016, devia de ser repetido em muitos outros locais do Bairro de Alvalade onde não faltam igualmente enormes lixeiras.

 

Travessa das Murtas (Setembro de 2015)

É inacreditável o estado de degradação das traseiras do bairro social das murtas.

Travessa das Murtas (Setembro de 2015 )

Travessa das Murtas (Setembro 2015 )

 

4. Parque 1 da Rua Afonso Lopes Vieira (cruzamento com a Av. da Igreja)

Após a limpeza uma profunda limpeza deste vasto logradouro, repleto de toneladas de lixo, surgiu um parque destinado a moradores com Dístico de Residente. Lugares: 32

Era indiscritível a porcaria que tinha sido acumulada pelos moradores neste logradouro, cujos vestígios ainda podem ser observados em muitas construções abarracadas que "sobreviverem" à limpeza geral iniciada em Outubro de 2015.

 

Logradouro após a limpeza da EMEL. Foto: Outubro de 2015

Logradouro em requalificação. Foto: Novembro de 2016

Logradouro em requalificação. Foto: Novembro de 2016

5. Parque 2 da Rua Afonso Lopes Vieira - Rua Branca de Gonta Colaço (cruzamento com a Av. da Igreja)

Mesmo em frente do anterior parque, um outro vasto logradouro igualmente repleto de lixo surgiu mais um parque de estacionamento para residentes munidos do respectivo Dístico. Lugares: 27. Hortas: 130 m2.

 

Quem vê hoje este parque de estacionamento não consegue imaginar as toneladas de lixo que existiam nas traseiras destas habitações. Esta obra demonstra aquilo que sempre dissemos: o caos que reina nos logradouros do "Bairro das Caixas" pode ser facilmente resolvido assim haja vontade política para o fazer.

Esperamos que outros parques de estacionamento surjam nestes logradouros do "Bairro das Caixas, como o das traseiras da Rua José Lins do Rego e da Rua Fausto Guedes Teixeira, um exemplo paradigmático da bandalhice que tem reinado na freguesia de Alvalade.

6. Parque de Estacionamento na Antiga Quinta do Narigão

Foi inaugurado no dia 9 de Setembro de 2017, pelas 9:00, esta importante obra na Mata de Alvalade/Quinta do Narigão. No lugar, onde durante décadas existiu um enorme bairro de barracas, o terreno foi limpo (2013), e foi agora requalificado, permitindo resolver o problema de estacionamento na zona. Tem 158 lugares de estacionamento com pavimento permeável e espaços verdes. O bilhete diário é de 2 euros. Está localizado na Rua Professor Veiga Beirão, com entradas pelas Avenidas Gago Coutinho e Dom Rodrigo da Cunha.

7. Projectos Falhados : Traseiras do Colégio de S. Vicente de Paula

 

Estacionamento selvagem na Rua das Murtas. Junto ao local existe um enorme parque de estacionamento, muito pouco utilizado, cuja tarifa diária é de 3 euros. Julho de 2017. Um projecto falhado, consultar Aqui

 

 

Zonas da EMEL

 

Sabe o que tem que fazer para obter o dístico de residente? Nós explicamos. 

 

A partir do dia 24 de Junho de 2016 as ruas  da denominada Zona 40 (Av. da Igreja) começaram a ser marcadas para permitirem um estacionamento ordenado. Os residentes deverão obter quanto antes o respectivo dístico, que lhes permitirá estacionarem de forma gratuita. Em breve a EMEL irá criar também nesta zona dois parques de estacionamento.

A EMEL com a introdução de parquímetros na Zona 40 está desta forma a concretizar o plano de expansão apresentado em 2014, como se pode verificar na imagem que acima reproduzimos.

 

 

 

Anterior

 

 
 

Entrada

História local
Cultura
Quiosque