Jornal da Praceta

Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

 

   

Avenida dos Estados Unidos da América

 

Circunvalação de Lisboa

A Avenida dos EUA foi pensada e projectada como uma circunvalação de Lisboa entre o rio Tejo e o Monsanto. Em 1941 está já presente nos planos camarários. Em 1947 está consagrada no Plano Diretor Municipal de Lisboa. Esta questão é de particular importância pois condicionará até aos nossos dias a vivência nesta artéria da freguesia de Alvalade.

Entre 1951 e 1961 são construídos grande parte da Avenida dos Estados Unidos da América.

O projecto de cruzamento com a Av. de Roma é definido em 1952, por Filipe Figueiredo e Jorge Segurado, prevendo-se já que o mesmo seria desnivelado. O crescente tráfego automóvel levou à construção em 1971 de um viaduto no cruzamento entre a Av. dos EUA e a Av. de Roma, acabando com o sua elegante rotunda. A partir daqui a poluição sonora e atmosférica nunca mais parou.

Apogeu

Na construção da avenida dos EUA trabalharam os mais destacados arquitectos do tempo, como Filipe Figueiredo, Jorge Segurado, José Croft de Moura, Henrique Branco Albino, Nuno Craveiro Lopes,. Sebastião Formosinho Sanchez, Ruy D`Athouguia entre outros.

Os anos 60 e 70 são definitivamente as décadas de apogeu da Avenida. É ainda nítida a separação entre o transito e as zonas pedonais. As fachadas percorridas por longas varandas não estavam desfiguradas com marquises. Os edificios apresentavam um bom aspecto de conservação. Os espaços verdes concebidos pelo arquitecto Ribeiro Telles (1957) estavam cuidados.

Decadência

A partir dos anos 90 os automóveis invadem os passeios, a conservação dos espaços verdes. A insegurança lentamente instala-se no novo milénio. A avenida torna-se notícia frequente pelos piores motivos: lixeiras, acidentes de transito e atropelamentos. O abandono por parte da CML e a indiferença das antigas juntas de freguesia de Alvalade e do Campo Grande estimula a apropriação privada de espaços públicos instalando-se o caos.

Avenida dos EUA junto ao cruzamento com a Av. Gago Coutinho. Se o acesso ao local é facilitado, a contrapartida é a poluição sonora e atmosférica. Foto: 10/12/2019

A distância entre passadeiras enorme. Muitas são as pessoas atravessam a avenida expondo-se ao risco de serem atropeladas. Foto: 10/12/2019

As fachadas da maioria dos edificios está totalmente desfigurada pelas marquises. As traseiras deste edificio que dão para a Rua António Patrício estão igualmente num estado deplorável.

O que não falta nas traseiras dos edificios da Av. dos EUA são lixeiras. Logradouro da Rua António Patrício. Foto: 10/12/2019

Pormenor de uma lixeira do logradouro da Rua António Patricio. Foto: 10/12/2019

Requalificação dos Logradouros

Após décadas ao abandono, a Junta de Freguesia de Alvalade, decidiu acabar com o estado deplorável em que se encontravam os logradouros. As obras contemplaram apenas o lado norte entre os nº10 a 48. Ainda não estavam totalmente concluídas e já a Junta estava a organizar um "concerto" coral para assinalar o acontecimento (2/06/2017), assim o "exigia" o calendário eleitoral das autárquicas.O lado sul da avenida ficou por requalificar e ainda hoje apresenta um aspecto deprimente.

No lado sul da Avenida, mesmo em frente aos logradouros requalificados no lado norte, a situação é de abandono. Foto: 10/12/2019

Em 2019 a Junta iniciou a requalificação entre o cruzamento com a Av. de Roma e Entrecampos, e irá contemplar logradouros como o da Rua António Patrício.

 
Editorial

Entrada

História local
Guia do Lazer
Quiosque