Jornal da Praceta

Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

    Anterior

 

 

Museu da Cidade de Lisboa

(Palácio Pimenta)

 

Palácio Pimenta, Cp. Grande, 245-Tel: 21 751 32 00- Inf: 21 751 32 00 (Serviço de Animação e Pedagogia)

Um percurso pela história de Lisboa nas diferentes etapas da sua evolução, abrangendo um período que vai da pré-história à actualidade, contemplando as vertentes geográfica, arqueológica e etnográfica.

Entre as suas peças mais interessante contam-se os achados arqueológicos, que testemunham a ocupação da região de Lisboa entre 300.000 e 100.000 a.C. Entre as maquetas destaca-se a reconstitui a cidade antes do terramoto de 1 de Novembro de 1755. 

Da vasta colecção de pinturas (a maioria estão amontoadas nas reservas) salienta-se o "Terreiro do Paço" (1650) de Dirk Stoop, e "O Sufrágio" (1913) de Veloso Salgado,  uma alegoria à eleição da primeira vereação republicana em Lisboa.

Este museu funcionou entre 1942 e 1975 no Palácio da Mitra, e só em 1979 foi instalado no Palácio Pimenta, no Campo Grande, uma típica residência de campo datada do século XVIII.

Jardim Rafael Bordalo Pinheiro

Nos seus jardins Joana de Vasconcelos realizou uma magnifica intervenção com peças de cerâmica do mestre Rafael Bordalo Pinheiro.

Direção do Palácio Pimenta/Museu da CIdade

O museu, depois da saída da sua antiga directora, a arqueóloga e historiadora Irisalva Moita (1984), esteve votado ao mais completo abandono durante longos anos.

Em 2013 foi nomeado um novo responsável - António Miranda - de quem se esperava um profunda mudança neste espaço museológico de enorme importância para a compreensão e divulgação da história de Lisboa.

Esperava-se sobretudo que depois da anterior directora ter sido corrida, fossem feitas as necessárias e urgentes mudanças que a degradação deste espaço museológico e patrimonial carecia, mas infelizmente quase tudo continua na mesma.

Alguns dos vícios dos seus funcionários (cerca de 3 dezenas) persistem, nomeadamente na mania de transformarem o passeio em frente ao museu num (ilegal) parque de estacionamento.

O espaço assinalado para os funcionários estacionarem as viaturas está quase deserto.

O espaço cujo estacionamento é proibido, mesmo à frente do museu está quase sempre repleto de automóveis de funcionários camarários. Um habito que nenhuma direção do museu ou mesmo a policia municipal de Lisboa consegue alterar. Foto: 29/01/2016

A entrada principal do museu está repleta de automóveis de funcionários camarários, os quais dificultam a visita a um pequeno jardim exterior. O próprio palácio Pimenta fica deste modo diminuído na sua dignidade por aqueles que era suposto terem por missão dignificá-lo. Foto: 29/01/2016

 

Notas de reportagens:

Estacionamento no Museu, Património e Degradação

Arquivo:

 

Fragmentos de Cor

 

Azulejos do Museu de Lisboa

3 de Junho a 25 de Setembro de 2016 . Museu de Lisboa - Campo Grande

Uma exposição que revelou um importante acervo de azulejos da CML que merecia estar exposto de forma permanente.

   
 

Entrada

História local
Guia do Lazer
Quiosque