Jornal da Praceta

Informação sobre a freguesia de Alvalade

(Alvalade, Campo Grande e São João de Brito )

    Anterior

Varandas da Biblioteca do Coruchéus estavam floridas

 

 Em Setembro de 2015 que Zélia Sakai trouxe uma vida nova às varandas deste palacete de Alvalade, mas foi sol de pouca dura. Pouco depois, devido à falta de manutenção, as flores morreram e tudo voltou ao seu estado habitual.

Em Maio de 2017 já não existiam vestígios das ditas janelas floridas.

 

Arquivo:

 

"Numa manhã de inverno (14/01/2016) fomos visitar o que ainda resta da Biblioteca dos Coruchéus, cujas obras de remodelação foram concluídas em 2013. Todo o espaço que fora recuperado, sobretudo os seus espaços ajardinados estava transformado num parque de estacionamento. A incúria e a incompetência dos responsáveis por este espaço público contínua, tudo voltou ao "antigamente".

 

A surpresa positiva foram uns vasos de flores que se destacavam em várias varandas, uma generosa iniciativa da cidadã Zélia Sakai, profunda conhecedora das plantas e das suas propriedades, nomeadamente as medicinais. 

 

 

 

Destruição dos jardim da Biblioteca dos Coruchéus

Um dos espaços mais aprazíveis do bairro de Alvalade nos anos 70 do século XX, foi transformado num caótico parque de estacionamento. Foto: 14/01/2016

A entrada da galeria de arte "Quadrum" estava completamente bloqueada por automóveis. Foto: 14/01/2016

Os automóveis são cuidadosamente estacionados nas zonas verdes, mesmo em cima dos sistema de rega. Foto: 14/01/2016

Após a denúncia da sitiuação pelo Jornal da Praceta, a CML resolveu limitar o acesso à area de modo a evitar a destruição dos espaços verdes.

Complexo dos Corucheus (biblioteca, Galeria, Centro de Artes Plásticas e Jardim)

Durante largos anos foi um exemplo paradigmático da incúria dos serviços camarários. Os Coruchéus foram votados ao mais compelo abandono. Mais

   
 
 

Entrada

História local
Guia do Lazer
Quiosque